Que bom que você veio! Que a paz do Senhor esteja com você e com todos os seus!

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Conhecer para amar



Meu pequeno Gabriel completou quatro meses de vida no último dia nove. É uma bênção sem tamanho poder vê-lo crescendo e descobrindo, dia a dia, o mundo e as maravilhas da criação! Que delícia o seu sorriso, que deleite o toque de suas mãos cada vez mais direcionado aos objetos do desejo, que lindo ouvir a sua voz...

E com essa visão agradável na retina, inicio o pensar do post dessa semana e concluo que o tema não pode ser outro que não a necessidade de conhecermos para amarmos. Explico. É que, quando o bebê nasce, pais e parentes o amam por instinto, truque da natureza para preservar a espécie. Na medida em que a criança vai crescendo, os vínculos de afeto vão se tornando cada vez mais fortes e é aí que o amor “ato de vontade” surge.

Da mesma forma acontece em nossa catequese. Quando recebemos nossos catequizandos pela primeira vez, no primeiro encontro, de certa forma já os amamos, pois rezamos por eles, preparamos o encontro e dedicamos nosso tempo para lhes transmitir a Palavra de Deus. Mas, de fato, é com o tempo que o amor mais profundo se instala.

No decorrer dos encontros, descobrimos em cada um dos que nos são confiados características, personalidades, pensamentos diferentes. E são essas particularidades que vão os fazendo, um a um, únicos para nós. De repente, você se pega andando em um shopping e lembrando daquela catequizando mais “patricinha”, mas que é cheia de sabedoria. Ou então, assistindo televisão, você se depara com uma reportagem sobre o time do coração daquele seu catequizando que só usa roupas esportivas e sempre chega atrasado, mas sempre chega...



Não tem jeito, é a convivência que nos faz sentir o amor verdadeiro, pois é nela que podemos observar a linda obra que o Senhor fez em cada um. Por outro lado, é importante lembrar que o catequista deve se esforçar sempre para buscar conhecer profundamente todos os seus pequenos (ou grandes). Afinal, só assim é que ele poderá compreender as particularidades e criar aquele vínculo especial, muitas vezes responsável pela verdadeira evangelização.

Não basta saber os nomes de cor (isso a gente resolve com os crachás), tem que conhecer a realidade, as dificuldades, onde mora, quem são os responsáveis, onde estuda/trabalha, o que faz nas horas livres, com quem anda, quais os sonhos, as expectativas, as alegrias, as tristezas...

Conhecer para amar, pois é amando que conseguiremos ir ao fundo de cada coração para plantar a tal semente...e, com isso, continuar o ciclo de semear amor!

Abraços, Lucyanna

p.s. Aproveite as suas férias para interagir com os catequizandos fora do ambiente catequético e conhecê-los um pouco mais. São jovens? Que tal marcar um cachorro-quente ou um cinema? São crianças? Convide as famílias para participar de uma Missa específica juntos. São adultos? Um jantar ou um happy hour.

4 comentários:

  1. Lucyanna,
    Seja bem vinda ao nosso Grupo Catequistas Unidos.
    Amei seu post e sugestao de encontrar os catequizandos fora da catequese.
    Lu, vc já colocou nosso selinho na lateral e divulgou o selinho. Agora só falta voce fazer um post com a lista atualizada dos blogs que fazem parte do grupo.
    Pode pegá-la aqui: http://catequesenanet.blogspot.com/p/catequistas-unidos.html

    E precisa visitar e ser seguidora também, tá?

    Paz de Cristo!!!

    ResponderExcluir
  2. VIM CONHECER VOCÊ E JÁ ESTOU TE SEGUINDO. ME FAÇA UMA VISITA QUANDO VOCÊ PODER. http://blogjonathancruz.blogspot.com/
    ABRAÇO

    ResponderExcluir
  3. Olá, vim lhe dar as boas vindas ao "Catequistas Unidos".
    Já estou te seguindo. Quando puderes visite meu blog e traga com vc meu banner, se quizeres.
    http://catequistadecca.blogspot.com

    Grande abraço

    ResponderExcluir

Sua opinião só acrescentará amor ao mundo!