Que bom que você veio! Que a paz do Senhor esteja com você e com todos os seus!

Dica de Leitura

 DICA DE AGOSTO
DIDAQUÉ



Toda história tem o seu começo, não é mesmo? E qual foi o começo, o primeiro norte dos catequistas? Acho que precisamos sempre e sempre pesquisar, voltar às origens, pois só assim conseguimos entender os motivos das coisas serem como são hoje.

Em uma formação na minha Paróquia, nosso Pároco Padre Márcio, citou o Didaqué, que foi o primeiro catecismo, e explicou sua importância crucial para os primeiros católicos e, por óbvio, para os primeiros catequistas. Mais do que depressa, porque ela é ultramegablaster pró-ativa, nossa coordenadora Pastoral e comadre pessoal, Tia Zita, tratou de disponibilizar o texto para a equipe.

Desde então quero sugerir a leitura dele para vocês, mas tudo anda tão corrido que só hoje tive tempo de atualizar essa página do blog.

O livro é pequenino e a leitura pode ser feita em uma sentada só, vale a pena! A Paulus tem uma versão: DIDAQUÉ: O catecismo dos primeiros cristãos para as comunidades de hoje.



Conhecer as raízes nos faz compreender melhor os frutos para, assim, sermos capazes de semear mais e mais amor!



Grande abraço, Lucyanna






 DICA DE JULHO
GIBIS



A primeira dica de leitura pode surpreender quem esperava algo ortodoxo. De fato, livros e artigos que falem sobre os temas da nossa fé são essenciais ao bom catequista, que deve estar preparado e buscar sempre mais conhecimento. Por outro lado, a reclamação constante dos catequizandos, dos pais e da sociedade é a de que a catequese é monótona, repetitiva e sem qualquer resquício de diversão. Quem nunca ouviu alguma piada ou reclamação sobre como os catequistas podem ser chatos e como o conteúdo da catequese pode ser enfadonho?

É por acreditar que catequese precisa ser interessante e divertida, sobretudo quando os destinatários são as crianças mais novas e os jovens, minha primeira sugestão de leitura são os gibis, as historinhas em quadrinhos.

Quem não se lembra de seu gibi favorito, seus personagens, a espera para comprar o próximo número? Todos já fomos crianças e histórias infantis povoam o imaginário coletivo. Muitas das lições morais que recebemos vieram desses livrinhos sem grandes pretensões, mas que deram seu recado, plantaram sementes que, mais tarde, a vida germinou.

Como catequistas, podemos tirar três grandes lições da leitura de gibis. A primeira, mais óbvia, é o contato com o singelo, com o mundo infantil novamente, afinal, na correria diária acabamos por nos afastar desse mundo e, como consequência, nossos encontros catequéticos também são planejados sem considerar o mundo das crianças (decorre disso a tal fama de encontros chatos, já que não falamos a mesma lingua de quem está ouvindo). A segunda lição é a de que existe material catequético até onde não imaginamos. Ao ler histórias do Cebolinha, você poderá captar planos mirabolantes e utilizá-los com outro significado e quem sabe a Mônica não pode ser modelo de um encontro sobre convivência ou liderança, apenas para citar dois exemplos. Finalmente, a terceira lição é a de que nós, adultos, precisamos rir mais, pois nosso riso alivia as tensões dos ombros e da alma!

Mesmo lendo sem maiores pretensões, você pode se deparar com uma pérola, uma historinha que se encaixa perfeitamente em um tema de encontro. Nesse caso, não fique na dúvida! Use o material como subsídio.Quer outra sugestão? Confeccione com seus catequizandos um gibi sobre um tema específico, pode ser atividade dentro do próprio encontro ou dever de casa (olha ai o dever de casa!). Não se esqueça de tirar várias cópias do Gibi e distribuir para toda a turminha, eles vão adorar! 


Abraços, Lucyanna

2 comentários:

  1. Excelentes dicas, Lu!

    O blog tá ficando melhor a cada dia!

    Beijão!

    ResponderExcluir
  2. deus esta no meio de nós!

    ResponderExcluir

Sua opinião só acrescentará amor ao mundo!