Que bom que você veio! Que a paz do Senhor esteja com você e com todos os seus!

domingo, 30 de setembro de 2012

Ano da Fé - V




Olá pessoal! Como estão todos?
Semana muito quente aqui no Planalto Central. Acho que Dom Bosco devia ter nos avisado que a coisa ia ferver por essas bandas...kkk

Bem, hoje gostaria de apresentar o último trecho da Carta Porta Fidei, escrita pelo Papa Bento XVI, que nos convida a, a partir de 11 de Outubro, caminhar refletindo sobre a nossa fé cristã, aprofundando nossos conhecimentos e proclamando ao mundo que cremos em Jesus Cristo, o Filho de Deus.

Um ano inteiro dedicado à fé não poderia ser completo se não fosse um ano onde a caridade fosse vivenciada. O Santo Padre afirma que:

“Fé e caridade reclamam-se mutuamente, de tal modo que uma consente à outra de realizar o seu caminho”.

Quem crê em Jesus não pode se esquecer do ensinamento do amor e o amor precisa estar no agir. Diz o Papa Bento XVI que é a fé que permite que vejamos Cristo no rosto do irmão necessitado e que nos impulsiona a socorrê-lo. O Cristão não pode fechar-se, a fé só tem um real significado se criar em nós o ímpeto do amor ao próximo, imagem e semelhança de Deus.

A Igreja sabe disso. Desde os seus primeiros passos, inúmeros irmãos dedicam suas vidas aos mais necessitados. O “ouro de Roma”, tão criticado por muitos, é utilizado para subsidiar projetos em todo o mundo, que vão desde orfanatos, escolas e hospitais, passando por missões de evangelização, de libertação (e aqui, nós, Mercedários temos grande responsabilidade, pois é nosso carisma), de saúde. Assunto que precisa ser do domínio dos catequistas, justamente para esclarecer aos catequizandos e familiares e para convidar os jovens sob sua responsabilidade a ingressarem no caminho sem volta percorrido por milhões de católicos, pois Madre Teresa e Irmã Dulce não são exemplos isolados. Sobre o tema, vale a leitura do post: http://verdadenossa.blogspot.com.br/2011/12/nao-mudem-nossa-verdade.html


Por isso, desde já, comecemos a refletir em níveis pastoral, paroquial e diocesano quais ações iremos abraçar neste ano da fé, para que ela, a fé, não fique esvaziada em si mesma. Precisamos ir além.

Por ora subsistem a fé, a esperança e a caridade - as três. Porém, a maior delas é a caridade. I Cor, 13





Catequista, como sempre digo, é ser criativo por natureza (ou seria por Graça?). Tenho certeza de que inúmeros projetos de caridade irão frutificar em virtude deste chamado do nosso Pastor!

Sigamos semeando o amor, Lucyanna

Um comentário:

  1. Olá,amiga!
    Gostaria de convidá-la para participar de um sorteio de vários livros em meu blog:
    nospassosdejesusamor.com.br
    Deus te abençoe!
    Abraços, com carinho,
    Angela

    ResponderExcluir

Sua opinião só acrescentará amor ao mundo!